Mostrando postagens com marcador Dicas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dicas. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de junho de 2014

Qual é o segredo para o sucesso no setor imobiliário ?

Desesperado com a falência da imobiliária própria, um corretor de 69 anos passou a “apelar” nos anúncios despertando a curiosidade das pessoas. Ele cria frases sobre o imóvel brincando com sogras, argentinos entre outros. Além disso, conta histórias e piadas usando a características dos prédios. A partir da primeira placa humorada, as vendas subiram 40%, fato fundamental para a sobrevivência do negócio.

As placas ficam localizadas em frente da imobiliária, localizada na praia de São Vicente, litoral de São Paulo, confira o texto de um dos anúncios: “Esse sobrado é bom pelo seguinte: caso você quebre o pau com a sua esposa ou sogra, você desce rapidinho e vai dormir nas duas garagens que o apartamento tem direito! O mais importante nisso é que você vai ficar longe da sua sogra! Que maldade gente! Eu faria ao contrário. Mandaria a sogra para a garagem! Ufa!”

O mundo não vive só de brincadeira, no local da piada o proprietário destaca informações do apartamento e o preço. O site da imobiliária também apresenta as mesmas brincadeiras. Algumas pessoas fazem questão de passar na frente do estabelecimento para visualizar as mensagens. Parte da população identifica o idoso como o “corretor poeta”.

Identificado por Agemiro Durante Filho, o homem trabalha no setor imobiliário há 40 anos. Desde 2008, o negócio não estava muito produtivo, mas a partir das frases, o movimento voltou a subir. O corretor poeta também faz mensagens de acordo com a época do ano, tudo para emocionar as pessoas.

Os gastos com publicidade também diminuíram com esse modelo de venda. “Não tenho mais motivos para anunciar num jornal”, descreve. Quem deseja vender um imóvel procura a imobiliária para anunciar. As pessoas querem as frases do poeta corretor para divulgar os empreendimentos.

Esse caso, assim como a história do corretor da madrugada, é um exemplo prático de como a criatividade e a flexibilidade podem ajudar a vender com mais tranquilidade. Deixe um tempo do seu dia para você refletir sobre a sua atuação como corretor. Se não estiver satisfeito com os resultados, procure ações diferenciadas como essa. A criatividade está dentro de todos, basta apenas ser desenvolvida.

Fonte: Portais Imobiliários




quarta-feira, 11 de junho de 2014

Corretor de Imóveis: Como alavancar sua carreira com a força do pensamento

Conheça o que é padrão mental positivo e como utilizá-lo para aumentar a sua motivação, alavancando assim a sua carreira profissional de corretor de imóveis.

Quem nunca se deparou com um problema ou uma situação desagradável e pensou coisas negativas a respeito, por exemplo: “Por que isso está acontecendo comigo?”./ “Agora vai dar tudo errado”./  “Perdi a venda, sou um fracassado”. Frases que às vezes surgem naturalmente em nossos pensamentos, mas que possuem um sentimento e/ou significado destrutivo e desanimador.

Frases negativas, como: “Agora vai dar tudo errado./“Eu vi que isso iria acontecer”, quando verbalizadas ou pensadas com frequência, tornam-se um padrão mental negativo na vida e na carreira profissional. Você acaba acostumando-se a mentalizar coisas negativas, e com isso tende a reclamar das situações, sem nem mesmo pensar no lado positivo que toda a situação difícil tem a ensiná-lo.

Para interromper estas ações destrutivas, foi desenvolvida uma metodologia chamada Programação Neurolinguística (PNL), onde os padrões negativo são interrompidos com frases positivas, mentalizadas ou até mesmo verbalizadas repetidamente, até que você se adapte a cultivar sentimentos bons.

No dia a dia do corretor de imóveis é muito comum deparar-se com a situação do cliente passar uma proposta e o proprietário não aceitar. Ao invés de culpar-se, mentalize: “Sou esforçado”. / “Foi uma experiência legal e certamente na minha próxima negociação terei sucesso”. Pode parecer besteira, mas quando este exercício é praticado, evita que você sinta desânimo e desmotivação, proporcionando-lhe o impulso necessário para começar um novo dia de trabalho com muito mais disposição e alegria.

Fonte: Blog Imobex




terça-feira, 10 de junho de 2014

Contrato de gaveta só em último caso

O termo “contrato de gaveta” refere-se à ação de financiar um imóvel e renegociá-lo com outra pessoa sem que as parcelas do financiamento tenham sido quitadas. Essa prática não é aconselhada pelos advogados, porém, tornou-se comum nas últimas décadas.

Em março de 1990 uma lei foi criada com a finalidade de restringir a transferência de imóveis financiados. Após a lei, a mudança de proprietário eleva em 20% o valor das prestações. Para a negociação ter validade, o segundo comprador precisa ter o crédito aprovado pelo banco.

Sendo assim, para não pagar o aumento das parcelas, muitas pessoas não registram o refinanciamento em cartório. O acordo é realizado informalmente e sem legitimidade legal. Comprar ou vender um imóvel nessas condições pode gerar prejuízos para todos os envolvidos.

Vale lembrar que se o comprador não honrar as parcelas, o banco irá cobrar a dívida do vendedor, até então responsável legal pelo financiamento. Em contrapartida, o comprador está pagando por algo que está em nome de outra pessoa. Se o vendedor sumir ou desistir do negócio, o comprador perde tudo.

Existem situações extremas que demonstram a complexidade de um contrato de gaveta. Por exemplo, o vendedor possui outras dívidas e a casa está penhorada. O imóvel é leiloado e o comprador perde todo o dinheiro investido. Outra complicação acontece quando um dos envolvidos entra em óbito e a família não tinha conhecimento do negócio. O comprador morre e a dívida é cobrada do vendedor.

Vale lembrar que quem transfere um imóvel financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação encontra dificuldades na hora de fazer outro financiamento. A taxa de juros será mais alta e o empréstimo pode até ser negado. Além disso, nos contratos de gaveta, se o vendedor possui outro imóvel, o comprador não poderá utilizar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

Para evitar problemas, o contrato de gaveta deve ser assinado na presença de um advogado e registrado em cartório. Uma investigação da ficha do vendedor e do imóvel adquirido também é fundamental. Mesmo assim, esse tipo de negócio só deve ser realizado com pessoas de confiança, se o indivíduo for desconhecido, pule fora enquanto é tempo.

Fonte: Portais Imobiliários




Como o corretor de imóveis pode inovar no mercado imobiliário

Em tempos de incertezas onde especialista e formadores de opinião discutem sobre a existência ou não de uma bolha no mercado imobiliário brasileiro, o que você tem feito para inovar em seu cotidiano profissional e aumentar suas vendas? Hoje o mercado imobiliário oferece oportunidades para todos os corretores de imóveis. Porém, a sobrevivência em um mercado cada vez mais competitivo depende diretamente da inovação e desenvoltura de cada profissional. Confira algumas dicas para destacar-se perante a concorrência e aumentar o número de prospecções de clientes por mês.

Concorrência: Estude o que os seus concorrentes estão fazendo de diferente para atrair clientes e destacarem-se no mercado. Identifique os erros/falhas e negociações de sucesso deles. Escolha de três a seis corretores de imóveis e/ou imobiliárias que você considera concorrentes  e acompanhe o desempenho de cada um durante o mês.

Divulgue seus imóveis na internet: Utilize as inovações tecnológicas para inovar também no seu negócio. A internet é com certeza uma grande aliada neste quesito. Crie um site imobiliário e disponibilize seus imóveis na internet para seus cliente. Além disso integre seu site aos principais portais imobiliários da sua cidade, aumentando suas chances de negociações.

Desenvolva novas técnicas: Não fique sentado no plantão de vendas ou na imobiliária esperando os clientes chegarem. Inove e pense estratégias para atrair possíveis compradores dos seus imóveis. Divulgue seus imóveis nos principais portais imobiliários, promova coquetel de lançamento para os empreendimentos que você está comercializando e participe ativamente das ações que o mercado imobiliário realiza (feiras, palestras e reuniões com incorporadoras).

O corretor de imóveis que está preparado para inovar no seu dia-a-dia e no atendimento ao cliente, tem maiores chances de sucesso em novas negociações. É necessário espelhar-se em cases de sucesso do mercado imobiliário, fazer melhor que a concorrência  e aprender com os os erros. O importante mesmo é estar sempre inovando.

Fonte: Blog Imobex




segunda-feira, 9 de junho de 2014

Como melhorar a comunicação com o cliente

A comunicação é a chave para o sucesso profissional. No entanto, não basta apenas falar, mas também ser compreendido de maneira eficiente por aquilo que se deseja transmitir com o seu discurso.

Para o corretor de imóveis, saber se comunicar é requisito fundamental. Por isso, durante uma negociação, é indispensável que o profissional se posicione de maneira correta diante do seu cliente, sabendo utilizar as palavras de forma estratégica e estabelecendo assim um relacionamento de qualidade.

Confira cinco dicas essenciais para desenvolver suas habilidades de comunicação com o cliente:

1. ADAPTE O SEU DISCURSO: nenhum cliente é igual, por isso é importante que o corretor adapte o seu discurso de acordo com o perfil de quem será atendido. Busque informações sobre o possível comprador, identifique suas preferências e seu modo de se comunicar, isso ajudará você a se relacionar mais facilmente com cada cliente.

2. SAIBA OUVIR: escute com atenção o que seu cliente tem a dizer e jamais o interrompa ou imponha a sua opinião. O corretor de imóveis que sabe ouvir o seu cliente, motivando-o a falar, saberá identificar com mais facilidade aquilo que ele realmente está procurando.

3. SEJA OBJETIVO E CLARO NAS INFORMAÇÕES: não torne a comunicação com o seu cliente um obstáculo. Seja o mais simples possível nas informações que estará passando. Se caso o cliente não compreender você, procure uma nova forma de explicação. Jamais deixe que algo fique mal entendido.

4. DOMINE O ASSUNTO: durante a visitação de um imóvel, por exemplo, é importante que o corretor domine cada detalhe para saber informar e esclarecer todas as possíveis dúvidas para o seu cliente. Esteja sempre bem preparado sobre o assunto, que a comunicação ocorrerá naturalmente.

5. MANTENHA O CONTATO VISUAL: nunca desvie o olhar durante a conversa com o seu cliente, isso transmite insegurança e provoca desconfiança. Manter o contato visual é uma atitude fundamental durante qualquer processo de comunicação e permite que o corretor perceba se o cliente está compreendendo ou não o que está sendo dito.

Fonte: Blog Imobex




quinta-feira, 29 de maio de 2014

7 dicas para facilitar a venda do seu imóvel

Dica 1 - sugira um preço justo

Na avaliação deixe o corretor ajudá-lo sugerindo um preço justo, evite pedir um preço muito alto, planejando abaixar depois, levará mais tempo para o imóvel ser vendido, o que acarretara mais custos e os prováveis compradores vão perdendo o interesse. Conhecer o valor da sua casa é um passo importante. Seja realista e não deixe se levar por fatores emocionais.


Dica 2 - nada de bagunça

Bagunça, roupa pendurada no varal, materiais de construção, sujeira, louça na pia e lixo causam má impressão em quem está procurando um imóvel. Antes de receber a visita de um interessado, deixe a casa em ordem.

É importante que tudo esteja muito limpo, principalmente a cozinha e os banheiros. Arrume os armários dos quartos e organize os utensílios domésticos na cozinha. Além de melhorar o aspecto da casa, deixando tudo em ordem vai fazer com que os armários e os ambientes pareçam maiores.


Dica 3 - aumente o “espaço” interno

Tire móveis em excesso de cômodos pequenos. Estantes, sofás grandes, cômodas largas atrapalham o fluxo e diminuem os espaços da casa. Se não der para retirar esses móveis, tente reorganizá-los para aumentar a sensação de amplitude.


Dica 4 - área iluminada e arejada é muito melhor

Na hora de receber os visitantes, abra as janelas, acenda as luzes, deixe tudo bem iluminado. Procure eliminar odores desagradáveis, como de animais domésticos, cigarro e fritura. Deixe a casa perfumada, cheirando a limpeza e com uma sensação de frescor. Esses pequenos cuidados irão causa uma boa impressão em quem estiver conhecendo seu imóvel.

É importante reparar janelas, portas e pintar a casa. Não é necessário pintar a casa inteira, mas apenas os ambientes que estiverem com as paredes manchadas, sujas ou emboloradas. Prefira cores claras, que aumentam os ambientes. Se houver trincas, providencie imediatamente a solução desse problema, já que ele causa um grande desconforto nos interessados.


Dica 5 - limpe e organize o jardim

Com relação à área externa, tenha em mente que um jardim mal cuidado causa péssima impressão nos visitantes. Corte a grama, retire as folhas secas, arranque matos, plante novas espécies para melhorar o aspecto do jardim.


Dica 6 - a documentação está pronta para ser usada?

Documentação correta, assegure-se de quais atos precisam ser feitos e pagos. Saiba qual documentação deverá ser apresentada para concretizar a venda e como as restrições contratuais e de zoneamento locais podem afetar a transação. Tenha sempre em mão, e organizadamente, toda a documentação do imóvel.


Dica 7 - confie no seu corretor

Negociações exigem habilidades, treinamento e experiência, portanto assessoria de um corretor é imprescindível, pois o envolvimento direto proprietário/ comprador provoca emoções que prejudicam a habilidade de negociar e freqüentemente acabam em más negociações. 

Fonte: Publicidade Imobiliária




Trabalhar como corretor de imóveis pode trazer felicidade ?

Passamos a maior parte das nossas vidas trabalhando e, tragicamente, prazer e trabalho nem sempre são palavras próximas no cotidiano. Muitos trabalham em uma atividade chata, apenas por necessidade, fazer o que gosta é algo irreal para a maioria. E quando se trata de felicidade corretor de imóveis, você é feliz durante o trabalho?

De acordo com uma pesquisa, realizada por um site de empregos dos Estados Unidos, os corretores de imóveis têm o emprego mais feliz do país. O estudo, realizado em 2012, entrevistou 65 mil trabalhadores que avaliaram dez fatores: relacionamento com chefe e colegas, ambiente, fonte de emprego, pagamento, oportunidade de crescimento, cultura, reputação da empresa, tarefas diárias e controle exercido sobre o trabalho diário.

Todos os itens foram avaliados em uma escala de 0 a 5. No mínimo 50 opiniões eram necessárias para o emprego ser considerado. No final, os pontos eram somados e divididos por 10. O resultado final apontou uma média de 4,26 pontos para os corretores de imóveis, a maior do país.

Salário = felicidade?

Não é o que aponta a pesquisa. Os corretores de imóveis recebem em média, US$ 51 mil por ano, porém, existem profissões que o salário chega a US$ 92 mil anuais, mesmo assim, os profissionais do setor imobiliário ainda estão mais satisfeitos.

A felicidade dos corretores está atrelada a qualidade de vida oferecida pela profissão. Os horários são flexíveis, o local de trabalho não é estressante, normalmente o relacionamento com o chefe e com os colegas é bom, o setor viveu um boom nos últimos anos e, mesmo com a crise, voltou a ter força nos Estados Unidos. De acordo com a pesquisa, os profissionais mais infelizes são os advogados. A pontuação dessa carreira não passou de 2,89. 

Fonte: Portais Imobiliários




terça-feira, 13 de maio de 2014

Confira algumas dicas para a compra do 1º imóvel

SÃO PAULO - O Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo) lançou, um manual para quem vai comprar o primeiro imóvel. A Cartilha da Compra Consciente relata conceitos básicos, como a diferença entre construtora, incorporadora e imobiliária, até assuntos mais complicados relacionados aos financiamentos, como sistema de amortização e direitos do consumidor.

O Secovi orienta que é importante ir além das pesquisas de bairro, taxas de financiamentos e do tipo do imóvel sonhado pelas pessoas.

"O comprador precisa ter conhecimento do mercado imobiliário. Adquirir um imóvel, seja na planta, pronto ou usado, requer do interessado bom senso, pesquisa e muito diálogo", fala o sindicato.

"Não se deve comprar uma unidade por impulso", ressalta o vice-presidente de Habitação Econômica do Sindicato, Flávio Prando. “Antes de tudo, é preciso fazer as contas e ver se as prestações do financiamento cabem no bolso”, enfatiza ele.

Confira as principais dicas fornecidas pela Cartilha da Compra Consciente:

1 - Valor da parcela não pode exceder 30% da renda da família
A cartilha orienta o comprador a não usar mais que 30% da renda da família - considerando no máximo três participantes, por exemplo: marido, esposa e um filho. O guia ainda lembra que outras dívidas, como a do pagamento de automóveis, impactam diretamente na capacidade de pagamento dos membros participantes.


2 - Se tiver restrições de crédito regularize suas pendências
Quem tem restrições de crédito pode sim contratar um financiamento, contanto que regularize todas suas pendências cadastrais e, somente após isso, o comprador deve buscar um banco para negociar as formas de financiar o imóvel.


3 - Analise bem as diferenças entre o imóvel na planta e um pronto
Enquanto o imóvel na planta oferece condições diferenciadas de pagamentos e financiamentos, quitando parcelas durante a evolução da obra, o imóvel pronto, por sua vez, propicia a ocupação imediata, apesar de geralmente ser financiado em um tempo mais curto. Vale a pena analisar bem cada opção e ver o que é melhor para a situação da família, no caso, esperar a obra ser finalizada e aumentar as parcelas ou se mudar logo, levando um financiamento com prazo menor.


4 - Visite estandes de vendas
Outra dica interessante é fazer visitas constantes aos estandes de vendas, comparando vários empreendimentos e consultando as formas de pagamento, sem pressa. “Não se deve comprar uma unidade habitacional por impulso. Antes de tudo, é preciso fazer as contas e ver se as prestações do financiamento cabem no bolso”, orienta o vice-presidente de Habitação Econômica do sindicato, Flávio Prando.


5 - Sim, é possível desistir do imóvel
É viável desde que haja todas as regularizações das pendências cadastrais para então pleitear o respectivo financiamento bancário contratado pelo comprador.


6 - Índices que alteram os preços
No caso do imóvel ser negociado ainda na planta o índice que atualiza seus preços é o INCC (Índice Nacional de Construção Civil), que subiu 0,21% em outubro. Já o IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado), no mesmo mês subiu 0,02% e costuma ser utilizado para atualizações de financiamentos feitos diretamente com os proprietários de imóveis prontos.


7 - Visite regularmente as obras
Uma das fases importantes é quando as obras começam a ser feitas e neste momento é essencial o olhar dos compradores no andamento do empreendimento. É possível sim fazer visitas ao local, dependendo claro, da política interna de cada empresa. O Secovi lembra que as normas buscam preservar a segurança dos visitantes.


8 - Use o FGTS para o pagamento do financiamento
O trabalhador pode usar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para pagar todas as parcelas ou parte delas. No entanto, há algumas regras como não possuir imóvel próprio na mesma cidade em que vive ou trabalha. Outras regras estão disponíveis em www.fgts.gov.br


9 - Seja pontual nos pagamentos
Se não receber o boleto antes do vencimento, entre em contato com a construtora/incorporadora solicitando a 2ª via. Segundo o Secovi, tal atitude evita que o comprador se torne inadimplente e que haja incidência de multa e juros nas parcelas seguintes.


10 - Linha do Tempo
Para que você se programe melhor, outra dica interessante do guia é uma Linha do Tempo elaborada pela órgão, com a seguinte sequência de feitos para a compra de um imóvel:

- Reunião da família, avaliando se é momento para comprar a casa própria;
- Contas, a fim de escolher a melhor forma de financiamento;
- Reunir a documentação necessária, inclusive do FGTS;
- Escolher o imóvel, se for pelo Minha Casa, Minha Vida, ver as regras para cada município;
- Acompanhar o andamento da obra, conforme as regras definidas pela construtora/incorporadora;
- Entrega das chaves: aproveite a nova vida!



A cartilha pode ser consultada na página do sindicato - www.secovi.com.br

Fonte: InfoMoney




segunda-feira, 12 de maio de 2014

É melhor comprar casa ou apartamento ?

É uma questão pessoal e de gosto, mas, existem casos em que a decisão é levada por fatores segurança, condomínio, privacidade, opções de lazer e conforto. Sem dúvida, a segurança é o fator que mais tem pesado na hora de decidir por um apartamento, que embora tenha tido alguns casos de assaltos em apartamentos, ainda é  mais seguro, principalmente quando se viaja, chega tarde  da noite, opção de lazer e facilidades em que um condomínio pode proporcionar.

O  valor do condomínio é um fator que tem pesado muito na hora de se decidir na compra, pois, é uma despesa que não tem fim, e nunca se sabe se um dia continuará tendo condições de arcar com esse gasto, que quando o imóvel vai envelhecendo a manutenção vai encarecendo com reflexo na mensalidade do condomínio.

Privacidade é um fator que muita gente tem optado pela casa e não ter que conviver com regras do condomínio. Em casa, a sensação é de que o vizinho não é tão próximo, pode se conversar até mais tarde da noite, fazer seu churrasquinho, receber os amigos etc ,  liberdade que apartamento não tem devido as regras e horários estabelecidos. Pode se criar animais de estimação, ter um espaço maior para cultivar as plantas e se tem crianças pequenas maior espaço para brincar, lavar seu próprio carro etc. Se caso de segurança seja o item imprescindível pode se optar por condomínios horizontais.

Em termos de valorização cada tipo de imóvel tem tidos resultados expressivos.





terça-feira, 29 de abril de 2014

Confira 7 cuidados para investir em imóveis

O investimento em imóveis é um dos preferidos dos investidores brasileiros há muito tempo. Segundo pesquisa da Franklin Templeton, 26% dos entrevistados mostraram preferência por este tipo de investimento.

No entanto, a AMSPA (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências) aponta que é muito importante focar em detalhes e pesquisar bem para fazer um bom investimento imobiliário e evitar problemas desnecessários no futuro. A entidade listou sete dicas para quem pretende investir em imóveis.

1 - Coloque todas as despesas no papel
“Reflita o quanto pode investir para adquirir um imóvel. O ideal é que as parcelas não comprometam mais do que 30% da renda familiar. Além disso, é bom ter um dinheiro guardado para se precaver contra uma eventualidade”, explica a associação.


2 - Faça uma pesquisa sobre a construtora
A AMSPA recomenda que seja feita uma pesquisa sobre a idoneidade da construtora, com pedido de seu CNPJ e consulta ao Procon. Também é importante verificar os registros no CREA do engenheiro e do arquiteto responsáveis pelo imóvel.


3 - Formalize a proposta
Outra recomendação é que a proposta seja formalizada, com todos os detalhes que foram prometidos pelo corretor, como preço, prazo, forma de pagamento, reajustes, entre outros.


4 – Guarde tudo
É importante se prevenir contra promessas que não sejam cumpridas ou propagandas enganosas, e para isso é bom guardar de tudo: folders, anúncios, fotos da maquete, do estande e do espaço interno.


5 - Avalie o potencial de rentabilidade
“Avalie o potencial de rentabilidade do negócio na região, ou seja, se a área escolhida apresenta chances de valorização. Para isso é fundamental analisar o bairro, seu zoneamento (se é possível alugar o local para fins comerciais), segurança, acessos, opções de transporte público e disponibilidade de serviços no entorno”, aconselha a AMSPA.


6 – Conheça o espaço
Essa dica é para imóveis usados, é importante conhecer o local, conversar com os vizinhos e verificar se o bem encontra-se ocupado também.


7 – Imóveis mais baratos podem se valorizar mais
“Lembre-se que um imóvel mais barato e simples tem um potencial de valorização muito maior do que imóveis de luxo ou empreendimentos maiores”, finaliza a associação.

Fonte: InfoMoney




segunda-feira, 28 de abril de 2014

6 dicas de classificados de imóveis na internet

A internet mudou completamente o comportamento dos compradores de imóveis. Se no passado, as fontes de informação eram os classificados nos jornais e a conhecida peregrinação por bairros à procura de placas de “À venda”, agora bastam poucos cliques para que o interessado faça uma seleção de imóveis e entre em contato com os vendedores via chat online para iniciar a negociação.

Portanto, nada mais óbvio para corretores e imobiliárias do que se estabelecer também no mundo virtual. Nesse contexto, além de manter um site exclusivo, com fotos , vídeos e outras informações atraentes para o consumidor, outra estratégia indicada é investir em anúncios em portais de classificados de imóveis, que concentram um grande tráfego de potenciais clientes, além de ampliar o número de links para o site da corretora/imobiliária.

Conheça, a seguir, particularidades de alguns desses portais:

OLX (www.olx.com.br): Presente em mais de 96 países, a OLX foi fundada em março de 2006 e investe fortemente em campanhas na TV e internet. Entre as funcionalidades do site estão criar anúncios com imagens e vídeos, integração com redes sociais e acessar o site a partir do celular;

villeBusca (www.villebusca.com.br): Desenvolvido pela villevox Comunicação e Marketing Online, é um portal de busca de anúncios de imóveis e veículos em todo o Brasil. Entre os recursos multimídia dos anúncios estão inserção de fotos, vídeos do Youtube e integração com o GoogleMaps, além de outros detalhes para auxiliar o internauta interessado.

Imobox (www.imobox.com.br): Com ofertas em todo o Brasil, o Imobox além de gerar oportunidades de compra, venda, locação e imóveis de temporada, traz notícias especializadas sobre casa e serviços, além de informações sobre o mercado e flutuação dos preços de imóveis em diversas regiões do país;

Webcasas (www.webcasas.com.br): Empresa do Grupo Santander, o WebCasas foi criado em 2009, com o intuito de atender à crescente demanda de procura de imóveis para compra, venda e aluguel através da internet. O site também coloca à disposição de seus usuários notícias sobre o setor imobiliário e dicas de decoração e design;

Fisgo (www.fisgo.com.br): O Fisgo é um mecanismo de busca que agrega conteúdo de diversos sites relacionados a imóveis e veículos. Seu objetivo é capturar as informações, classificá-las e apresentá-las de forma clara e rápida aos internautas;

Trovit (www.trovit.com.br): Com perfil diferenciado dos demais sites, o Trovit funciona como motor de busca de anúncios e classificados de imóveis, empregos, produtos e veículos, sendo uma grande fonte de tráfego qualificado. Os usuários vêem um trecho do anúncio no Trovit e se, eles estão interessados, serão redirecionados para o site do anunciante.

Outras dicas são caprichar nas fotos para que o cliente tenha uma noção real do imóvel, colocar o máximo possível de informações sobre o imóvel, e assegurando informar pelo menos a localização aproximada. Informar o preço do imóvel também é muito importante. Não se intimide se a oferta for “muito cara”, pois há público interessado para todas as faixas de preços.

Fonte: Fórum Imobiliário




Excesso de placas podem atrapalhar a venda ou locação do imóvel

Não é difícil encontrar em frente de um imóvel para vender ou alugar, várias placas de diversos corretores e imobiliárias. Embora possa parecer que o excesso de placas ajude a realizar a venda ou locação mais rápido, esse tipo de atitude pode atrapalhar e muito o fechamento do negocio. Isso porque a atitude acaba passando a impressão de que a casa ou o apartamento está com algum problema ou encalhado, dificultando o sucesso da transação e desvalorizando a propriedade.

Apesar das placas serem consideradas uma ótima ferramenta de publicidade, em excesso podem causar desvalorização do imóvel, além de comprometer a estética do empreendimento e pior, acabar prejudicando a segurança do imóvel, já que a casa ou apartamento estará exposto em várias imobiliária e o proprietário não terá muito controle de quem o frequenta.

Por outro lado, a exclusividade, ou seja, contratar apenas uma empresa imobiliária é positivo para todas as partes envolvidas na negociação, apenas uma empresa ficará responsável pela negociação deste imóvel, que se dedicará para ofertar este imóvel, terá maior segurança e o valor não sofrerá alterações.




segunda-feira, 14 de abril de 2014

Dicas para alugar imóveis com segurança


Para alugar uma casa ou um apartamento sem ter dor de cabeça, é necessários alguns cuidados antes de assinar o contrato de locação. Vou citar algumas precauções que devem ser tomadas para ter um bom negócio:

  • No caso da imobiliária ou proprietário, verificar se o locatário possui uma garantia, que pode ser caução, fiador ou um seguro fiança.
  • Fazer a vistoria do imóvel junto com o proprietário para verificar o estado do imóvel. Essas informações devem ser documentadas.
  • Caso haja algum abatimento no valor da locação devido a reformas ou acordos, isso deve ser colocado no contrato.
  • Caso o locatário decida deixar o imóvel antes do término do contrato, o proprietário pode cobrar uma multa proporcional ao tempo restante do contrato.
  • Em caso de proprietários que não querem se preocupar com a administração do imóvel, sugiro que procure uma imobiliária de confiança para administrar.
  • Outro detalhe importante é que o condomínio deve ser pago por quem está alugando o imóvel.

Em caso de mais dúvidas, procurem um corretor de imóveis credenciado pelo CRECI.




quarta-feira, 2 de abril de 2014

Como fazer um Financiamento Imobiliário


Hoje temos vários bancos que trabalham com financiamento bancário no sistema SFH, alguns com juros diferenciados mais altos e baixos e dependendo de alguns serviços como receber o salário pelo banco financiador normalmente tem um desconto na hora de pagar as prestações. No programa Minha Casa Minha Vida até no valor de salário bruto de R$ 5000,00 tem juros mais baixos e é financiado apenas pelo Banco do Brasil e a CEF.

Para se fazer aprovação de financiamento de imóvel em primeiro lugar é preciso ter um imóvel já previamente escolhido, para depois entrar com toda a documentação do(s) comprador(es) e vendedor(es) diretamente com os facilitadores ou com a instituição bancária que farão todo o processo de verificação nos documentos, engenharia, para a assinatura de escritura que pode demorar no mínimo de 45 dias e dependendo podendo arrastar por vários meses.




terça-feira, 1 de abril de 2014

Como tornar o sonho da casa própria uma realidade


Como o próprio titulo diz, o sonho da compra da casa própria, não é como comprar um produto de consumo, ir até a loja, adquirir uma TV, celular, e até um carro.  É bem mais complicado, se você tem dinheiro é fácil, mas o montante é muito grande, a grande maioria não tem dinheiro, nem para dar de entrada. É comum as pessoas acharem  que para comprar a casa, simplesmente basta  estar trabalhando  seja suficiente para realizar o seu grande sonho.

Para que uma pessoa possa adquirir uma casa financiada, é necessário que se faça um simulado para ver até que valor ele consegue financiar  e quanto de entrada  e FGTS  tem disponível para dar e se as prestações a pagar estão dentro de suas possibilidades (30% do salário bruto)  Procure um CORRETOR DE IMÓVEIS CREDENCIADO que irá ajudar a fazer um simulado e procurar um imóvel até o valor previamente verificado com documentação em nome dos proprietários em ordem e aprovar o crédito nos facilitadores do SFH. Para aprovar é preciso ter nome limpo, estar trabalhando pelo menos 4 meses no emprego, caso for autônomo é preciso ter 6 meses de extrato bancário com depósito ininterrupto para se tirar uma média salarial. Depois de todos os documentos entregues e no processo de aprovação até a assinatura da escritura não se pode “sujar” o nome e se tudo correr bem precisa reservar um dinheiro para a documentação no ato da assinatura da escritura, feito isso o seu sonho da casa está realizado, agora é só se organizar manter as prestações em dia e quando ver  o tempo passou e a estará de posse da escritura definitiva.