Mostrando postagens com marcador Venda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Venda. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de junho de 2014

Como usar o Facebook para vender mais imóveis

O Brasil possui 54 milhões de pessoas cadastradas no Facebook. O número representa um quarto da população. Levando em conta esses dados, a corretora de imóveis paulistana, Monique D. Tonini, decidiu utilizar a rede social como ferramenta para as vendas, os resultados foram surpreendentes.

Antes de abordar o caso da corretora, vale lembrar que 90% das buscas por imóveis começam pela internet. Esse dado demonstra a força on-line do mercado imobiliário e justifica o interesse nas redes sociais. A pesquisa foi realizada pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais (Secovi).

Com o intuito de divulgar as ofertas de imóveis em São Paulo, a corretora Monique criou a fanpage (página destinada a empresas ou marcas) “Casas Bacanas”. Até então, nenhuma novidade, porém, o nome da página já demonstra um conteúdo diferenciado. Geralmente, corretores e imobiliárias colocam o nome da empresa como título no Facebook. Qual é o título mais atrativo para os clientes: “Imobiliária São Paulo” ou “Casas Bacanas”? A resposta é lógica.

Além de um nome atraente, outro diferencial é o estilo dos anúncios. O cliente quer saber muito mais do que o metro quadrado ou o número de quartos, quer se sentir no local, saber detalhes inusitados. O texto de um anúncio de um apartamento começa assim: “Uau…que vista! Esta é a primeira sensação ao entrar neste apartamento de 170 metros. Sala, cozinha e biblioteca totalmente integradas. Os elementos são de muito bom gosto, as cores quentes na decoração e nos revestimentos dão uma gostosa sensação de aconchego”.

As fotos também são um diferencial, a corretora busca imagens de lugares diferenciados, como uma janela grande, uma vista deslumbrante, entre outros destaques da arquitetura. “Muitos imóveis são mal divulgados, com imagens nada atraentes. Resolvi criar anúncios em que eu aproximo de forma mais envolvente o futuro comprador ou inquilino”, relata Monique em entrevista ao Portal Terra.

A fanpage “Casas Bacanas” foi inaugurada em 2010 e conta com, aproximadamente, 22 mil seguidores. Possui anúncios de imóveis nos seguintes bairros de São Paulo: Higienópolis, Santa Cecília, Centro, Jardins, Pinheiros, Vila Madalena, Perdizes, Itaim, Vila Olímpia, Moema e Cidade Jardim. Além de faturar com o aumento nas vendas, a corretora de imóveis também passou a faturar com a divulgação dos empreendimentos.

Por tratar-se de um tema relativamente novo, não existe uma receita pronta de como os corretores de imóveis devem usar o Facebook, no entanto, os casos de sucesso devem servir de exemplo para futuras tentativas.

Fonte: Portais Imobiliários




quarta-feira, 11 de junho de 2014

Captar é tão importante quanto vender imóveis

Afinal, da onde surgem os imóveis para o corretor vender? Sim, as imobiliárias indicam boa parcela, porém, o profissional também deve buscar oportunidades. Todo o conhecimento, experiência, persuasão serão necessários mais uma vez, porém, com outra finalidade. Além de vender um imóvel, o corretor precisa convencer o proprietário de que é o profissional capacitado para realizar a venda.

O corretor não tem um estoque de imóveis para colocar no mercado assim que as vendas aconteçam. Por isso, a captação é tão importante. Quanto maior o banco de dados, mais opções o corretor terá para oferecer. Um profissional do setor imobiliário sem imóveis para negociar é considerado um trabalhador desempregado.

Para ser um bom captador o corretor deve conquistar a confiança do cliente, é o princípio da fidelização tão útil na concretização da venda. Nesse sentido não existe nada melhor do que boas amizades. Que tal fazer uma parceria com um porteiro, o garçom de um bar, enfim, trabalhadores com contato direto entre a população. Quem quer vender um imóvel geralmente comenta algo com os amigos e, essas pessoas podem lhe ajudar a se tornar uma referência em soluções imobiliárias.

Ao conseguir uma oportunidade de captação, explique ao proprietário a importância da exclusividade. Muitos pensam que colocar um imóvel a venda para vários corretores torna o processo mais rápido, porém, isso pode trazer problemas legais ao próprio proprietário. Os órgãos reguladores da profissão defendem a venda de forma exclusiva.

Como regra geral, o corretor deve estar atento ao mercado. É preciso se antecipar e prever oportunidades de novos empreendimentos, estudar o mercado para ter argumentos sustentáveis para apresentar um planejamento de divulgação, capaz de convencer o proprietário de que você é a melhor opção.

Se você captou um imóvel, faça um acordo com a imobiliária para que outros profissionais te ajudem na venda. Lembre-se de pedir uma parte da comissão, assim mesmo que você não tenha efetuado a venda, recebe uma parcela da comissão. É mais uma fonte de recursos dentro da mesma profissão.

Fonte: Portais Imobiliários




terça-feira, 10 de junho de 2014

Contrato de gaveta só em último caso

O termo “contrato de gaveta” refere-se à ação de financiar um imóvel e renegociá-lo com outra pessoa sem que as parcelas do financiamento tenham sido quitadas. Essa prática não é aconselhada pelos advogados, porém, tornou-se comum nas últimas décadas.

Em março de 1990 uma lei foi criada com a finalidade de restringir a transferência de imóveis financiados. Após a lei, a mudança de proprietário eleva em 20% o valor das prestações. Para a negociação ter validade, o segundo comprador precisa ter o crédito aprovado pelo banco.

Sendo assim, para não pagar o aumento das parcelas, muitas pessoas não registram o refinanciamento em cartório. O acordo é realizado informalmente e sem legitimidade legal. Comprar ou vender um imóvel nessas condições pode gerar prejuízos para todos os envolvidos.

Vale lembrar que se o comprador não honrar as parcelas, o banco irá cobrar a dívida do vendedor, até então responsável legal pelo financiamento. Em contrapartida, o comprador está pagando por algo que está em nome de outra pessoa. Se o vendedor sumir ou desistir do negócio, o comprador perde tudo.

Existem situações extremas que demonstram a complexidade de um contrato de gaveta. Por exemplo, o vendedor possui outras dívidas e a casa está penhorada. O imóvel é leiloado e o comprador perde todo o dinheiro investido. Outra complicação acontece quando um dos envolvidos entra em óbito e a família não tinha conhecimento do negócio. O comprador morre e a dívida é cobrada do vendedor.

Vale lembrar que quem transfere um imóvel financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação encontra dificuldades na hora de fazer outro financiamento. A taxa de juros será mais alta e o empréstimo pode até ser negado. Além disso, nos contratos de gaveta, se o vendedor possui outro imóvel, o comprador não poderá utilizar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

Para evitar problemas, o contrato de gaveta deve ser assinado na presença de um advogado e registrado em cartório. Uma investigação da ficha do vendedor e do imóvel adquirido também é fundamental. Mesmo assim, esse tipo de negócio só deve ser realizado com pessoas de confiança, se o indivíduo for desconhecido, pule fora enquanto é tempo.

Fonte: Portais Imobiliários




quinta-feira, 29 de maio de 2014

7 dicas para facilitar a venda do seu imóvel

Dica 1 - sugira um preço justo

Na avaliação deixe o corretor ajudá-lo sugerindo um preço justo, evite pedir um preço muito alto, planejando abaixar depois, levará mais tempo para o imóvel ser vendido, o que acarretara mais custos e os prováveis compradores vão perdendo o interesse. Conhecer o valor da sua casa é um passo importante. Seja realista e não deixe se levar por fatores emocionais.


Dica 2 - nada de bagunça

Bagunça, roupa pendurada no varal, materiais de construção, sujeira, louça na pia e lixo causam má impressão em quem está procurando um imóvel. Antes de receber a visita de um interessado, deixe a casa em ordem.

É importante que tudo esteja muito limpo, principalmente a cozinha e os banheiros. Arrume os armários dos quartos e organize os utensílios domésticos na cozinha. Além de melhorar o aspecto da casa, deixando tudo em ordem vai fazer com que os armários e os ambientes pareçam maiores.


Dica 3 - aumente o “espaço” interno

Tire móveis em excesso de cômodos pequenos. Estantes, sofás grandes, cômodas largas atrapalham o fluxo e diminuem os espaços da casa. Se não der para retirar esses móveis, tente reorganizá-los para aumentar a sensação de amplitude.


Dica 4 - área iluminada e arejada é muito melhor

Na hora de receber os visitantes, abra as janelas, acenda as luzes, deixe tudo bem iluminado. Procure eliminar odores desagradáveis, como de animais domésticos, cigarro e fritura. Deixe a casa perfumada, cheirando a limpeza e com uma sensação de frescor. Esses pequenos cuidados irão causa uma boa impressão em quem estiver conhecendo seu imóvel.

É importante reparar janelas, portas e pintar a casa. Não é necessário pintar a casa inteira, mas apenas os ambientes que estiverem com as paredes manchadas, sujas ou emboloradas. Prefira cores claras, que aumentam os ambientes. Se houver trincas, providencie imediatamente a solução desse problema, já que ele causa um grande desconforto nos interessados.


Dica 5 - limpe e organize o jardim

Com relação à área externa, tenha em mente que um jardim mal cuidado causa péssima impressão nos visitantes. Corte a grama, retire as folhas secas, arranque matos, plante novas espécies para melhorar o aspecto do jardim.


Dica 6 - a documentação está pronta para ser usada?

Documentação correta, assegure-se de quais atos precisam ser feitos e pagos. Saiba qual documentação deverá ser apresentada para concretizar a venda e como as restrições contratuais e de zoneamento locais podem afetar a transação. Tenha sempre em mão, e organizadamente, toda a documentação do imóvel.


Dica 7 - confie no seu corretor

Negociações exigem habilidades, treinamento e experiência, portanto assessoria de um corretor é imprescindível, pois o envolvimento direto proprietário/ comprador provoca emoções que prejudicam a habilidade de negociar e freqüentemente acabam em más negociações. 

Fonte: Publicidade Imobiliária